terça-feira, 28 de outubro de 2014

25 de outubro - Dia do Cirurgião-Dentista e Dia Nacional da Saúde Bucal

A cidade é maravilhosa, com paisagens encantadoras, mas a alegria do seu povo também é uma de suas marcas registradas.

Acolhemos, encantamos e contagiamos nossos visitantes e muitos se tornam cariocas de coração.

O espírito carioca transborda alegria, é feliz, trabalhador e que supera as dificuldades cotidianas com seu jeito peculiar, sempre com um sorriso no rosto.

Parabéns a todos os profissionais que trabalham pela manutenção do espírito carioca, com muito sorriso e saúde!!!

Obrigado a todos que fazem parte da equipe, promovendo a saúde bucal na nossa cidade e fazendo o SORRISO PRESENTE cada vez mais no Rio de Janeiro!

Parabéns e nosso muito obrigado!

Coordenação de Saúde Bucal

“Cuidando do sorriso da sua família!”

CENTRO DE ESPECIALIDADES ODONTOLÓGICAS DO RINALDO DE LAMARE (AP 2.1) COMPLETA DEZ ANOS

A Coordenação de Saúde Bucal do Rio de Janeiro parabeniza toda a equipe do Centro de Especialidades Odontológicas Rinaldo De Lamare pelo aniversário de dez anos, comemorado no dia 24 de outubro de 2014!

Agradecemos o empenho e a dedicação dos profissionais da unidade, sempre em busca pela excelência no atendimento à população carioca.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Ciclo de Debates Saúde Bucal 2014

Ciclo de Debates 2014

Dando continuidade ao calendário do Ciclo de Debates de 2014, foi realizado no dia 17 de Setembro o encontro com o tema "Saúde Bucal", no auditório da ABO-RJ.

Foram apresentadas experiências exitosas em saúde bucal no âmbito da atenção primária por profissionais de diferentes equipes e unidades de saúde da rede, das CAP 3.2 e 3.3, tratando de temas como Dentescola/PSE, acolhimento, critérios de inclusão, humanização e processo de trabalho nas equipes de saúde bucal da ESF. Também foram apresentados e discutidos alguns indicadores de saúde bucal e algumas questões relacionadas ao SISREG. Ao final foi proposto um debate com o público presente sobre os temas tratados.

Entendendo o Ciclo de Debates enquanto espaço de socialização, convivência, troca, reflexão, avaliação e crítica construtiva, consideramos extremamente positiva a participação de todos os presentes com as mais diversas contribuições.

Agradecemos a todos os presentes que possibilitaram tal experiência exitosa, colaborando para o aperfeiçoamento de nossa rede, pautados na proposta de construção coletiva da saúde bucal.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Projeto Piloto de Endodontia - Istrumentação Rotatória

Avaliação do Impacto da Introdução de um Sistema de Instrumentação Rotatória para o Serviço de Endodontia Realizado na Rede Pública Municipal do Rio de Janeiro

2011

1. INTRODUÇÃO

1.1 A ENDODONTIA NA REDE MUNÍCIPAL

A rede pública municipal do Rio de Janeiro é composta por 17 Centros de Especialidades Odontológicas (CEOs) que se encontram distribuídos por todo o município. Nesses 17 CEOs, se encontram alocados 44 profissionais que são responsáveis pela realização de todos os tratamentos endodônticos realizados dentro da rede municipal.
Dentre esses profissionais encontram-se especialistas, assim como clínicos gerais que realizam endodontia na sua prática privada ou mesmo somente dentro da rede municipal. Esses profissionais produzem uma média de 500 tratamentos endodônticos/mês incluindo dentes uni-, bi- e multi-radiculares. Não são realizados retratamentos de rotina, salvo os casos que foram tratados na própria rede municipal.
Atualmente, não existe um protocolo padronizado de instrumentação mecânica para os tratamentos realizados nos CEOs. Assim, a fase da instrumentação mecânica é realizada de acordo com o critério de cada profissional. Estes têm a sua disposição brocas Gates Glidden, limas tipo Kerr 1ª e 2ª series além de limas Hedströen. Além disso, os profissionais não foram previamente capacitados ou calibrados em uma técnica ou sistema específico de instrumentação.
A produção média dos CEOs do município do Rio de Janeiro, apesar de numericamente expressiva, ainda é significantemente abaixo da meta de produção mensal imposta pelo Ministério da Saúde – que atualmente seria de aproximadamente 1000 tratamentos/mês para as condições do município do Rio de Janeiro. Assim sendo, a Coordenação de Saúde Bucal está se mobilizando para buscar alternativas e estratégias, com o objetivo de aumentar a capacidade produtiva de seus profissionais da Endodontia.

1.2. A INSTRUMENTAÇÃO DOS CANAIS RADICULARES COM NiTi ROTATÓRIO

Uma etapa crítica do tratamento endodôntico é a instrumentação do espaço radicular. Esta é realizada pela ação mecânica dos instrumentos endodônticos coadjuvada pela utilização de substâncias químicas auxiliares. No entanto, uma correta instrumentação de canais curvos e atresiados continua representando o maior desafio técnico-prático da prática endodôntica.
Os instrumentos endodônticos convencionais para uso manual são confeccionados de aço inoxidável, que por sua flexibilidade limitada, podem levar a de erros de procedimento. A rigidez do instrumento pode resultar em aberrações no canal como as perfurações, zips e degraus (Schäfer et al. 2003). Desde a introdução dos instrumentos fabricados com ligas de níquel-titânio (Ni-Ti), surgiu a possibilidade de minimizar estes problemas e aumentar a efetividade do processo de alargamento do espaço radicular, principalmente devido as suas características de maior flexibilidade que os instrumentos de aço inoxidável, exibindo também maior resistência à fratura e a pronunciada “memória elástica” (Yum et al. 2011).
Os instrumentos rotatórios de Ni-Ti podem efetivamente produzir um formato cônico, suficiente para a obturação, com o mínimo risco de desvio do canal original (Schäfer et al. 2003, Yum et al. 2011, Hilaly et al. 2011). Em função de suas propriedades, os instrumentos de NiTi exigem movimentos rotacionais, superando as características negativas dos instrumentos de aço inoxidável, em especial na instrumentação de canais radiculares curvos. As ligas de Níquel-Titânio apresentam características diferenciadas, entre elas: efeito memória de forma, super elasticidade, torneamento, resistência à fadiga e considerável flexibilidade. Além disso, os instrumentos de NiTi podem apresentar em um mesmo sistema rotatório diferentes conicidades (taper), ou diferentes tapers em um único instrumento, sistema ProTaper (Tulsa dental Products, Tulsa).
Os objetivos da instrumentação automatizada com instrumentos rotatórios de NiTi são semelhantes aos da instrumentação convencional (Sadeghi 2011, Martinho et al. 2011); porém, as vantagens do uso dos instrumentos rotatórios representam aspectos positivos adicionais, melhorando os resultados do preparo final, quando os mesmos são utilizados de forma adequada:
- Manutenção do centro do canal (manter anatomia original do canal);
- Diminuição de debris além ápice;
- Promover limpeza e desinfecção do espaço radicular;
- Obter forma cônico-afunilada;
- Permitir irrigação e obturação;
- Melhor limpeza e forma final do preparo

Assim sendo, a automação do preparo do canal radicular é, nos dias atuais, uma realidade que representa um sistema de trabalho que permite um ganho de produtividade e qualidade técnica, assim como de conforto para o profissional e para o paciente.

2. OBJETIVO GERAL

Algumas estratégias estão sendo desenvolvidas com o objetivo de aumentar a produtividade da Endodontia na rede municipal, sendo claro para esta Coordenação de Saúde Bucal que existe a necessidade do estabelecimento de uma melhor padronização do protocolo de tratamento sob o ponto de vista técnico, principalmente no que se refere à fase da instrumentação mecânica.
Para isso, se faz necessário a realização de uma capacitação teórico-prática dos profissionais, por meio de um projeto para implementação de um sistema de instrumentação rotatória nos 17 CEOs do município do Rio de Janeiro. No entanto, objetivando a realização de um projeto bem sucedido existe a necessidade de realização prévia de um projeto piloto, com o propósito principal de estudar o impacto gerado pela introdução do sistema de instrumentação na rede.
Deste modo, temos como objetivo principal do presente projeto testar os resultados em termos de produtividade e verificar a viabilidade técnica da implementação de um sistema automatizado de instrumentação em 5 CEOs (2 profissionais por CEO) da rede municipal durante o período experimental de 3 meses.


3. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

1. Determinar a viabilidade técnica da implementação de sistema de instrumentação rotatória como rotina dos CEOs;
2. Verificar o impacto da implementação de um protocolo padronizado e automatizado de instrumentação na produção mensal dos CEOs.

4. METODOLOGIA

4.1. Local do Estudo
Cinco Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) foram escolhidos para sediar o presente estudo. São eles:
1. Policlínica José Paranhos Fontenelle (Penha);
2. Adolescentro Paulo Freire (São Conrado);
3. Posto de Assistência Médica (PAM) Newton Bethlem (Praça Seca)
4. Centro Municipal de Reabilitação Oscar Clark (Maracanã)
5. Policlínica Lincoln de Freitas Filho (Santa Cruz)

A escolha dos CEOs teve como base alguns parâmetros como a quantidade de empresas interessadas, a produtividade mensal de cada CEO, a localização, a quantidade de profissionais disponíveis, o grau de interesse e cooperabilidade dos profissionais e dos chefes de serviço. No total, 10 profissionais foram incluídos para participarem do presente estudo.

4.2. Amostra e Aspectos Éticos
A população submetida a esse estudo será a própria demanda natural existente em cada CEO e esse é um ponto interessante, pois controla de modo eficaz o viés de alocação.
Todos os pacientes incluídos no estudo serão esclarecidos e orientados sobre os objetivos e métodos do trabalho, onde todos assinarão um termo de consentimento de participação elaborado baseada na resolução 196/96 do Ministério da Saúde (Conselho Nacional de Saúde, 1996).

4.3. Sistemas Testados e Empresas Selecionadas
Quatro sistemas de instrumentação automatizada foram selecionados para o presente projeto. A seleção desses sistemas teve como critérios (1) a literatura disponível sobre o sistema, (2) possuir o registro no órgão oficial regulador (ANVISA), (3) o grau de inserção e distribuição do sistema no mercado nacional e (4) o interesse de cada empresa em participar do presente projeto.
Assim sendo, 4 sistemas de instrumentação distintos foram selecionados, sendo eles:
1. Sistema ProTaper (empresa DENTSPLY);
2. Sistema MTwo (empresa VDW);
3. Sistema Race (empresa FKG);
4. Sistema ProTaper (empresa EasyEndo).

As empresas parceiras nesse projeto assumirão o compromisso de suprir com o material e equipamento necessários para a satisfazer a rotina de tratamentos de um CEO (2 profissionais) durante o período de 3 meses. Ou seja, a empresa deverá fornecer limas NiTi rotatórias de seus sistemas específicos e motores elétricos para viabilizar a implementação do sistema de instrumentação no CEO de sua referência. Estão planejados uma média de 50 tratamentos/mês durante um período de 3 meses para cada CEO.
É importante ressaltar que a participação das empresas no presente projeto não implica em nenhum tipo de prioridade para futuras licitações de compras pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro. O objetivo das empresas no presente projeto é único e se restringe a apresentar o produto e suas possíveis vantagens aos profissionais da rede municipal.


4.4. Treinamento dos Profissionais e os Tratamentos Propriamente Ditos.
As empresas ficarão responsáveis também por providenciar um treinamento do tipo hands on com o objetivo de capacitar os profissionais no seu sistema de instrumentação. Além disso, o servidor e pesquisador responsável pelo presente projeto e o servidor Marco André Berredo Pinho ficarão responsáveis por fornecer uma assessória técnica necessária aos profissionais dos CEOs durante os 3 meses de execução do projeto. Assim, a Prefeitura do Município do Rio de Janeiro estará liberando esses 2 servidores para a realização do acompanhamento técnico do presente projeto.
A fase da instrumentação será realizada de acordo com o sistema especifico escolhido para cada CEO. Os profissionais irão usar os sistema seguindo as recomendações do fabricante que esta alocado para o seu CEO. Todas as outras etapas do tratamento serão realizadas seguindo o padrão previamente existente na rede municipal.
Por isso pode-se aferir que o tratamento endodôntico que será realizado durante o estudo terá, no mínimo, o mesmo padrão dos tratamentos de rotina porque não há aspectos inovadores/experimentais envolvidos. Os tratamentos serão 100% embasados nos conceitos da Endodontia moderna que se encontram descritos na literatura mais recente; os quais são realizados rotineiramente na rede municipal. A única variável estudada será o efeito da introdução de um sistema de instrumentação automatizada na rotina e na produtividade mensal de cada CEO. Assim sendo, o presente projeto em nenhum momento traz algum tipo de risco para os sujeitos envolvidos em relação a qualidade dos procedimentos que serão realizados. Pelo contrário, pois a literatura mostra com freqüência que o preparo mecânico automatizado dos canais radiculares é capaz de melhorar a qualidade geral dos tratamentos endodônticos.

4.4. Coletas dos Dados
A coleta de dados para compor os resultados será focada em 2 principais aspectos:
a) Estabelecer o padrão de qualidade dos casos realizados por meio de uma analise radiográfica dos mesmos.
b) O grau de motivação de cada profissional com o sistema automatizado será analisado qualitativamente por meio de uma entrevista que será realizada pessoalmente com cada profissional que participar do projeto. A entrevista será realizada por um dos pesquisadores envolvidos no presente projeto e focada na opinião pessoal de cada profissional sobre alguns pontos técnicos do sistema que ele utilizou nesse período, como: facilidade de uso, robustez do motor elétrico, qualidade da seqüência técnica dos instrumentos em casos normais e em casos mais complexos, rapidez no preparo mecânico e na curva de aprendizado do sistema.


5. CRONOGRAMA


Dezembro - 2011:
· Entrega dos materiais
· Capacitação Teórica e Prática no sistema
· Execução dos tratamentos

Janeiro - 2012:
· Execução dos tratamentos

Fevereiro - 2012:
· Execução dos tratamentos;
· Tabulação inicial dos dados e início da análise dos resultados

Março - 2012:
· Análise dos resultados;
· Reunião final com a empresa.



6. RESULTADOS ESPERADOS


· Aumento da produtividade mensal em torno de 20%;
· Introdução de um protocolo padronizado de trabalho para instrumentação mecânica dos tratamentos endodônticos realizados nos CEOs do município do Rio de Janeiro
· Aumento da qualidade geral dos tratamentos endodônticos.

7. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

1. Hilaly Eid GE, Wanees Amin SA. Changes in diameter, cross-sectional area, and extent of canal-wall touching on using 3 instrumentation techniques in long-oval canals. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod. 2011.
2. Martinho FC, Chiesa WM, Marinho AC, Zaia AA, Ferraz CC, Almeida JF, Souza-Filho FJ, Gomes BP. Clinical investigation of the efficacy of chemomechanical preparation with rotary nickel-titanium files for removal of endotoxin from primarily infected root canals. J Endod. 2010 Nov;36(11):1766-9.
3. Park SY, Cheung GS, Yum J, Hur B, Park JK, Kim HC. Dynamic torsional resistance of nickel-titanium rotary instruments. J Endod. 2010 Jul;36(7):1200-4.

4. Sadeghi S. Shaping ability of NiTi rotary versus stainless steel hand instruments in simulated curved canals. Med Oral Patol Oral Cir Bucal. 2011 May 1;16(3):e454-8.

5. Schäfer E, Schlingemann R. Efficiency of rotary nickel-titanium K3 instruments compared with stainless steel hand K-Flexofile. Part 2. Cleaning effectiveness and shaping ability in severely curved root canals of extracted teeth. Int Endod J. 2003 Mar;36(3):208-17.

6. Yum J, Cheung GS, Park JK, Hur B, Kim HC. Torsional strength and toughness of nickel-titanium rotary files. J Endod. 2011 Mar;37(3):382-6.